sexta-feira, 3 de julho de 2009

Pés de lã

moreno, se te chamo assim é porque não consigo decifrar o teu tom,nem revelar o que há por trás do teu olhar que me parece tanto oblíquo quanto dissimulado.Tão capitu.Eu relembro "teu sorriso é um paraíso".Eu relembro de Marte e Vênus, e que por acaso você sempre volta pra minha vida.E que não por acaso sempre caio na tua, bebo teu vinho e esqueço do que ainda não passamos juntos.A ressaca é a melhor possível.E os meus olhos cansados de te admirar fecham-se num suspiro trôpego daqueles que valem por um segundo e se desmancham cheios de fluidos desatinados.É moreno, espero que nossos encontros venham acompanhados de vírgulas, talvez até com minhas reticências reticentes por algo mais..


[sempre Volta]

12 comentários:

Lo. disse...

Tu anda escrevendo coisas tão lindas...

"E que não por acaso sempre caio na tua, bebo teu vinho e esqueço do que ainda não passamos juntos. A ressaca é a melhor possível."

Isso tu escreveste, mas isso sou eu também! :) hehe

Jéssica, a antropofágica disse...

Cara, só quem acompanha essa saga sabe o quão imprevisível as coisas costumam ser entre vocês...
Cuidado, flor...só o que posso dizer...
Amo-te, Flor.

Ps. Aproveita bastante também, lógico...rs

Jaya disse...

Eu diria que a cada post você vem com uma poesia mais delícia, Ariana. Que coisa mais bonita que foram essas palavras, esses sentidos, essa coisa ebriamente delicada. Sei lá. Vi fumaça e álcool no meio de tudo. Tinha lua, também.

E quis muito ter escrito essa coisa das "reticências reticentes por algo mais".

Fo-da, sabe? Muito.

Beijos, frô.

. disse...

Há dias em que parece que tudo o que resta são migalhas, míseras continuações de histórias descontínuas, que inventamos sem imaginar o prejuízo que causam agora ou causarão mais tarde. Quando você diz que meus textos parecem continuações, penso que, de uma certa forma, minhas tristezas tem razões semelhantes.

Belo trabalho aqui. Continue escrevendo que eu continuo lendo.

Nasca disse...

gostinho de quero mais..
tem casos que o acaso é amigo
suspiro eu, reticente por ti
sempre um gole a mais do vinho, um trago a mais da fumaça dele.

ps:
e sim, menino sou
tão que quase nada vi e sempre
me encanto com teu cantar

flores e um beijo :* ...

Adriana Gehlen disse...

nossa mãe, que lindeza!

Suzana disse...

Sou nova por aqui, mas não pude deixar de ler e me encantar com seus textos...

Jaya disse...

Quando Jéssica aparecer, diz que eu mandei ela se foder. Porque eu amo. Tá?

Hoooooooooooooooooooooooohoho.

Vou pegar ela no pau, por ter excluído o blog. Me ajuda?

Helen O. disse...

Meu vazio se encheu...
lindo isso aqui.

Transborda agora, afinal, o tempo é tão evanescente quanto a fumaça daquele cigarro...

muitas reiventaçoes pra ti!=)

ps:saudade descontrolada=/

Jester disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thiago disse...

e que o ponto final esteja longe :)

Jaya disse...

Macapá, hein?

Delícia, aí?

Beijo, frô. E posta, cara. Posta!