quinta-feira, 22 de julho de 2010

invenções

Me escuta só um pouquinho, é rápido e talvez eu esteja me importando à toa, mas é que eu tenho que falar.Sabe, eu sei que disse que ti queria num potinho pra guardar comigo, em meu bolso. Eu sei que falei tantas coisinhas importantes que ficaram pelo ar. Sopradas.Soltas.Não sei por quê, mas eu as dei.

A verdade é que "parece que tenho amado sempre".Já te disse que amo em silêncio, né? vez ou outra sopra uma intenção mais profunda, diria até latente.O amoréLatente.Queria poder dizer isso aos poucos no teu ouvido, eu queria.Ponto, disquero assim fugindo dos telefonemas esquecidos, dos convites não-feitos e do sumiço repentino que levei.Trago então hoje em dia a tua ausência, é pequena, por que juro que conto o entregar-se e o seu contrário à conta-gotas,assim não machuca tanto, ou vai aos pouquinhos também.

Você continuará ouvindo Beatles, continuará tocando Novos Baianos e sobretudo continuará sendo você, só que sem mim, e eu só tô aqui pra dizer que é o fim, mesmo.Por que de repente de novo, outros olhinhos se tornaram especiais pra mim, outro sorriso corresponde melhor ao meu, e tenho uma voz que espero toda noite ouvi-la falar, de tão rouquinha que é, me desmancho toda. De novo, alguma coisa está chegando.E alguma coisa está saindo de mim para outro alguém.






Que seja Doce.

6 comentários:

Flávia disse...

Escrevi algo parecido no blog essa semana - amores que vão, amores que vem. Porque o amor não começa nem termina: cicla. Muda-se - não em outra coisa, mas para outro destinatário. Para outros olhos. Para quem lhe compreenda.

Beijos!

Karol Gonçalves disse...

Nossa! Tão bom!
Acho que vou copiar emandar por email para um certo alguém... Pode?!

"O amoréLatente.Queria poder dizer isso aos poucos no teu ouvido..."

(Suspiros!)

Helen O. disse...

Eu te amo...
foi que senti vontade de digitar aqui.

=]

Suzana Z. disse...

Se eu me derreti toda, imagina o causador desse lindo texto?
(suspiros)

bjoks

Paulinha disse...

E sabe que é isso o belo da vida!

Má Midlej disse...

Uau, incrivel. Gostei muito de cada palavra e da forma como elas se emendaram assim. Porque é assim mesmo, né? A gente gosta de falar bonito em eternidade, mas vai mudando e acontecendo outro bando de coisas.. Adorei aqui. :)

beijo grande.