sábado, 19 de setembro de 2009

O pré sal

Um novo investimento do governo, uma nova garantia de sustentabilidade.Assim o presidente Luís Inácio Lula da Silva, declara em seu discurso.“A dádiva de Deus”, como ele também se refere ao pré-sal,que está localizado à 250km do litoral brasileiro, em uma faixa que vai desde os estados do Espírito Santo até Santa Catarina, e se estende em 800km da costa litorânea.O petróleo está abaixo da camada salina, a exatamente 7 mil metros abaixo do nível do mar, em águas “profundas” e “ultra-profundas”.
As reservas que foram descobertas o pré-sal são Tupi, Júpiter, Parati, Carioca, Iara, Guará, Bem-Te-Vi e Caramba, onde a mega-reserva encontra-se em Tupi que se localiza na bacia de Santos, e faz parte do bloco BMS-11, ainda em fase de testes, possui reserva de 5 a 8 bilhões de barris. O Brasil, com esta exploração, está ao lado dos principais grupos de crescimento da empresa, junto dos Estados Unidos, Inglaterra, Tunísia, Egito, Índia e Casaquistão.
O pré-sal começou com o mesmo entusiasmo dos biocombustíveisbiocombustíveis ,na afirmação do presidente: “Posso dizer para vocês que a paixão pelos biocombustíveis é de tal magnitude dentro do Governo, que teria bem uns dez ministros preparados para vir aqui e passar horas e horas debatendo com vocês. Esse, na verdade, não é mais um biocombustível, é uma paixão governamental, empresarial, da agricultura e, sobretudo, do povo trabalhador deste país”
(30/8/06, Brasília – DF. Op. cit.)
Hoje em dia, nada se fala sobre os biocombustíveis, entretanto não se pode pensar assim quanto ao pré-sal, sendo apenas um evento a ser esquecido, visto que ele é um processo que levará tempo até ser compreendido pela sociedade. A Petrobras, estima um salto que sairia dos 14,4 bilhões de barris atuais de óleo para 70 bilhões ou mesmo 107 bilhões de barris, fazendo a empresa figurar entre as 10 primeiras das maiores reservas de petróleo do mundo, isso representa um salto na economia de 15 trilhões de dólares, 10 vezes o PIB (produto interno bruto) do ano de 2008.
Agora o que se tem a discutir é como será empregado os lucros que vão garantir o pré-sal.Os estados que já lucram com o capital advindo do petróleo, São Paulo e Rio de Janeiro, não abrem mão de dividir tais riquezas com os outros estados,é a questão dos royalties(compensação financeira devida ao estado pelas empresas), em reunião que teve no planalto, onde se juntaram os governadores do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, São Paulo, José Serra, e Espírito Santo, Paulo Hartung, fizeram com que Lula recuasse da decisão de distribuir igualitariamente os recursos para outros estados, o que para Sérgio Cabral é um “assalto” ao Rio perder suas contribuições especiais, para o governador de Pernambuco,Eduardo Campos, no entanto a continuação de um modelo vigente que só privilegia poucos é desequilibrada. Enquanto permanece a velha disputa entre regiões, o marco regulatório previsto por Lula requer a regulamentação da exploração, que concede um mínimo de 30% da operação em todas as concessões do pré-sal à Petrobras e criação de uma nova estatal (Petro-sal). Outro afã do governo é a nova estatal chamada Petrosal, um fundo social que vai receber parte dos recursos da União relativos á extração do petro-sal.A ideia,é que esses recursos, segundo as intenções da ministra da casa civil, Dilma Rousseff, sejam destinados à educação, assim como o foi na Noruega, mas não apenas em educação, mas meio ambiente, inovações tecnológicas, infra-estrutura, cultura, combate a pobreza, entre outras questões,poderá vir a ser uma estatal de investimentos do pré-sal, o que os próprios petroleiros são contra, pois reivindicam uma Petrobras 100% pública, que atenda a população pobre, de fato,o coordenador da FUP(Federação Única dos Petroleiros), João Antonio de Moraes, é incisivo “O governo quer aplicar os recursos na infraestrutura de projetos rentáveis, aqueles que dão lucro. Além disso, apenas os juros desses empreendimentos é que serão aplicados em saúde, educação, reforma agrária, moradia. O nosso projeto defende que os recursos obtidos com o pré-sal sejam aplicados na integralidade nesses setores”. A dúvida, no entanto permanece, por que o governo resolveu escolher uma nova empresa para repartir o petróleo em duas companhias ?.Muitas, na realidade são as dúvidas quanto a esse investimento, em plena época de energias alternativas e biodegradáveis por que estaríamos nos sujeitando a gastar milhões em petróleo que é um dos combustíveis fósseis mais poluidores, pois emite alto volume de gás carbônico para atmosfera? a Petrobras em sua defesa afirma que irá criar tecnologias para neutralizar o carbono, daqui a quanto tempo, é o que não se sabe.Aliás, não se sabe, daqui a quanto tempo essa empreitada trará lucros para a sociedade, a previsão é de 2016 em diante.Só os gastos, segundo o diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, chega a 10 bilhões de dólares, em reais significa 3 trilhões em investimento, um tanto quanto duvidoso e que se espera ter retorno (outra vez) a longo prazo.

A Situação Derradeira

Em via de grandes descobertas, e com todo alarde midiático- mesmo que perdido em afirmações redundantes, a sociedade precisaria estar a par desses acontecimentos, e não como de costume ser apenas informada, sem ter a oportunidade de influenciar nos rumos do futuro do Brasil.O governo sabe que tais benefícios só serão obtidos com a ajuda do povo, e o povo a par disso tudo é que irá sustentar este projeto daqui com os anos, pois isso se trata também de instituições, como elas iram proceder e de que forma estará vivo o movimento que foi buscado lá na história, ainda com Getúlio Vargas.O petróleo é do povo brasileiro.A idéia arcaica que só empresas privadas é que são mais competentes, para poder vender a empresa estatal e assim o petróleo, mudou, e os parâmetros políticos que vigoravam na década de 90, hoje já não sobrevivem, graças também a mudança de consciência dos Brasileiros.Temos o petróleo como patrimônio nacional.E assim deverá ser por vários anos, sem que armadas e frotas IV estadunidenses venham “proteger” nossas reservas.



se vocês leram isso, grata, na real deu trabalho.Mas que tristeza, tive que cortar mais da metade do texto. [óóóódio]

3 comentários:

Diversidade.com disse...

Assustada!



Beijo!

Jaya disse...

Não li, ó.

Foi pra faculdade? E por que teve de cortar?

Beijo, bêibe.

Deni Maciel disse...

nuss se tu cortou e teve essa riqueza de informãção.
iasioajsioasas imagina a coisa bruta [em todos os sentidos]
tudo tm seu lado bom e seu lado ruim..
pena q mtos interesseiros e afins tornam as coisas piores.
e sempre dão mais valor e mídia pros fatos ruins...
ainda bm q temos acesso a blogs...sites....opiniões q nos mostram os lados bons e ruins de um mondo menos manipulador e mais limpo...
abraços e ótima kuartaaa...dps do
dia mundial sem carro...
e feliz dia mundial sem dinheiro...
ngm gasta no dia de hoje eeimmm
*-*