terça-feira, 6 de outubro de 2009

desconstruções de sentido

confusão interna.
Já falei pra vocês que ando tendo ataques estranhos? aqueles que faço coisas que não reconheço como sendo minhas, armo e me desarmo.luta interna com variáveis externas, mas o que permanece é um não-sei-o-quê e nem - como-explicar[fatão].E eu fico calculando tirando os atos falhos, somando esquecimentos, diminuindo a minha existência.Ataques de crises existênciais, isso que dá não saber ter liberdade com responsabilidade à la Sartre, insistir na angústia que é não saber como processar sua própria vida, coisa de existencialistas mesmo.E esse mundo tão grandão que é, tá me puxando e me puxando e de mais a mais eu quero aproveitá-lo inteirinho, sem restrições, afinal já nascemos na fatalidade de um mundo pré-concebido mesmo, resta criar valores pra não se perder nele - Isso é muito difícil pra mim e, deveras pode ser difícil pra você também.
sentido da vida é sentir.

14 comentários:

Fernanda disse...

Ah,a confusão interna...ela as vezes me dá pavor,deixa todos os sentidos confusos..

já te linkei quando vi a fotinha dos Los hermanos fiquei apaixonada pelo blog^^adorooo eles!!!

Interferência disse...

"insistir na angústia que é não saber como processar sua própria vida, coisa de existencialistas mesmo".

Puxa... que capacidade de descrever tão bem algo tão comum, talvez pela insistência na angústia já ser uma forma de angústia. E insistir é um jeito de tentar aproveitar o "mundo tão grandão"...

Jester disse...

Pra ti e pra tua família, um ótimo Círio, com muitos morangos no tucupi.
Beijos!

Pri Castro disse...

Confusão interna...é ás vezes fico assim também, sem acreditar em certas coisas que faço, e muitas vezes me arrependendo dessas coisas.Enfim, assim vamos vivendo aprendendo com a vida e tentando não se perder nesse mundo tão GRANDÃO.


Flores e amores pra ti.

Matheus N. disse...

até confusa você consegue ser linda.. sentido da vida é viver! :)

que seja vida bem viva em nós :*

Jaya disse...

Sentido da vida, é não ter!

[Adoro mudar as reflexões alheias].

E véi, vem cá, esse post é quase um abuso de tão lindo. Dos melhores que li aqui, Ariana. A confusão tão clara, no meio de palavras escolhidas a dedo. Coisa de detalhe interno. Coisa bonita.

Um beijo.

Helen O. disse...

É dificil ser o certo social quando se quer viver a plenitude.
Eu tento não me arrepender,mas em certas situações o arrepedimento pode ser aquele tapa na cara que te faz parar e pensar no que
estamos nos tornando.

Saber viver é complicado...


#Chorameligababy;)

Magnum Borini disse...

wow! q grande texto! acho q todos nós mas, principalmente, os formadores de opinião são afetados por essa confusão, q parece interna mas é externa tb!

muito bom e preciso refletir um pouco mais! uahuahauh!

to com novidades! da uma olhada!

bjão e ate+!

Bê Matos disse...

Sempre faço coisas não-sei-porquê nem como-explicar. É fato. :)

Me encontrei em cada palavra aqui, de verdade. rá

Beijos ;*

Magnum Borini disse...

hauhauah! vc é uma garota esperta! claro q vc sabe! hauhau! ainda bem q vc gosto! adoro seu blog!

bjão e ate+!

Lolla...doida varrida! disse...

a-d-o-r-e-i seu blog. e já tô seguindo.
passa lá no meu tb pra dar uma fussadinha.
bjusss

Eduardo Andrade disse...

A mente infinita, destrambelhada e adolescente navega por mares e ares sem limite, sem censura, sem culpa e rumo definido. Não há que se ter ciúme de fantasmas!
Eduardo Andrade
http://visaoliteraria.blogspot.com/

primaverasdesetembro disse...

adorei o que esse moço escreveu ai em cima.é bem assim qe as coisas estão para mim.bem assim.

Flores, meus amores.

Jaya disse...

Eu resolvi tirar o papel do avesso, e mostrar o que tinha do outro lado. Não sei se foi bom, mas virei.

Te espero daqui, agora.

Um beijo, Arianazinhainhazinha.

:*