segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Resiliência

Resiliência:É a concepção teórica da psicologia que remete à possibilidade de adaptação positiva em contextos de adversidade e de riscos significativos.

Não é que eu seja passional demais, é que já tô acostumada a ver relacionamentos não darem certo,[nem tanto por mim, eu diria] dai então aprendi a não culpar o outro.Culpar é tirar de si a responsabilidade ou a tormenta da consciência.Renato Russo já se perguntava "e então a culpa é de quem?".Ele não entendeu que dar comida, velar o sono, ser amigo, não resolve quando não há amor. [bem, e até um tempo eu também não tinha entendido].
E o amor se transverte em ódio, e fica tão embrulhado de emoções que coloca uma máscara, achando que ninguém vai notar que esse ódio todo, na verdade, faz parte de um sentimento que não é de se medir em conta-gotas e que por não saber usar o faz transbordar.E já não sabemos denominar.Mas o que eu sinto não precisa de escárnio, precisa de tempo, contra-tempo, cata-vento.Precisa de calma, alma e todo tipo de filosofia barata, mas não, nem nunca a raiva.Perder tempo com isso já me faria ser menos eu.

depois de uma conversa na mesa do bar, a única resposta que me viria seria essa.Não lembro se na hora saiu, mais ou menos assim.

4 comentários:

Fernanda disse...

A culpa as vezes nunca é de ninguem apenas do tal destino que teima em brincar com nossas vidas.

Suzana Z. disse...

Nossa, se a conversa na hora saiu assim: parabéns rs
Minhas conversas de bar - geralmente depois de algumas doses de álcool - saem digamos, um pouco mais agressivas, do tipo: homem não vale nada, se chegar aos 30 solteira, caso com vc amiga! rsrsrsrs E por aí vai.... rsrs bj linda!

Jéssica, a antropofágica disse...

Tão passional que não consegue nem atribuir a culpa a quem merece.
Se não há amor, tudo bem, não é culpa de ninguém, mas por que fingir que tem?
Disso sim, ele(s) é(são) culpado(s).
Beijos, doce.

Matheus N. disse...

odeio não conseguir te odiar?
que seja sempre assim, um sentimento que não dê espaço pra raiva, que seja imperfeito sim, incompleto, mas blindado de coisas assim..

porque se é amor, tem tanta coisa pra ser.. porque ser logo isso?
não cabe, não cabemos, nem nunca...

as minhas flores eu te dei :*